Última hora

Última hora

Neo-nazis endoutrionavam crianças

Em leitura:

Neo-nazis endoutrionavam crianças

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de um longo inquérito as autoridades alemãs passam finalmente à acção. Uma série de buscas tiveram lugar na madrugada desta terça-feira em quatro estados, no domicílio de líderes de numa organização de extrema-direita que se fazia passar por uma associação de defesa do ambiente, alvo de investigação desde há alguns meses.

A HDJ – Associação da Juventude fiel à pátria, para quem judeus e estrangeiros são uma ameaça para a nação, foi ilegalizada, tinha como projecto criar uma elite neo-nazi e edoutrinava crianças dos 8 aos 14 anos. O ministro do Interior faz questão de assinalar que o governo “está decidido a combater o neo-nazismo, a extrema direita e a xenofobia. É uma organização repugnante que tenta seduzir crianças para a ideologia neo-nazi sob a aparência de lazer e práticas inofensivas”. A associação foi criada em 1990 e conta com 400 membros, mas é sobretudo conhecida pelos seus campos de férias onde crianças e adolescentes são submetidos a uma disciplina militar rígida e às ideologias neo-nazis. Neste grupo foram encontrados membros da Juventude Viking uma organização nazis proibida em 1994. Em Agosto do ano passado a polícia controlou um campo de férias do grupo Juventude Fiél à Pátria e encontrou numerosos objectos com a suástica, desde camisolas a panfletos com mensagens como “Luta por um Novo Reiche”. Perante a violência crescente em torno deste tipo de grupos, as autoridades alemãs questionam-se sobre a possibilidade de proibir o partido neo-nazi NPD abertamente racista, xenófobo e anti-semita.