Última hora

Última hora

Declarações do novo chefe da diplomacia israelita enfurecem palestinianos

Em leitura:

Declarações do novo chefe da diplomacia israelita enfurecem palestinianos

Tamanho do texto Aa Aa

Declarações polémicas no primeiro dia de trabalho do novo governo e cisão no topo da hierarquia do Estado israelita.

O chefe da diplomacia, o ultra-nacionalista Avigdor Lieberman, defende que Israel não tem nenhum compromisso com a conferência de Annapolis e a criação de um Estado Palestiniano. O Likud expressou apoio às palavras de Lieberman, proferidas durante a passagem de poder no Ministério dos Negócios Estrangeiros. Uma visão oposta à do presidente Shimon Peres que, durante a manhã, pediu o avanço do processo de paz. Na passagem de poder entre Ehud Olmert e Benjamin Netanyahu, o chefe de Estado afirmou: “O governo deve fazer um esforço para promover o processo de paz em todas as frentes. O executivo cessante adoptou a visão de dois povos dois Estados, como defende a administração americana e deseja a comunidade internacional. O governo deve decidir como será a realidade”. Benjamin Netanyahu reagiu com um silêncio. Ontem, na investidura disse que era possível chegar à paz com os palestinianos, mas não evocou a criação de um Estado. Um desejo de não se comprometer, em nome da estabilidade da coligação dominada pela direita e extrema-direita. As declarações de Lieberman não surpreenderam os palestinianos, que já tinham reagido negativamente à formação do governo israelita. Fonte próxima do presidente Mahmmd Abbas considera que Lieberman é um obstáculo à paz e que provocará muitos danos a Israel.