Última hora

Última hora

Argentina: O último adeus ao "pai" da democracia

Em leitura:

Argentina: O último adeus ao "pai" da democracia

Tamanho do texto Aa Aa

Dezenas de milhares de pessoas marcaram presença no cortejo fúnebre do ex-presidente Raúl Alfonsín.

Figura emblemática da democracia argentina, Alfonsín, faleceu na terça-feira, aos 82 anos, vítima de cancro. Alfonsín chegou à presidência da Argentina em 1983, depois da queda da ditadura militar. Durante os 6 anos de mandato resistiu a 3 tentativas de golpe de Estado e no final conseguiu, pela primeira vez em muitas décadas na Argentina, fazer a passagem de poder para o seu sucessor eleito. Lançou as bases do Mercosul. Teve a coragem de levar a tribunal alguns chefes da junta militar responsáveis pela tortura e o assassinato de milhares de opositores à ditadura. Mas a incapacidade em gerir a enorme crise económica em que a Argentina mergulhou no final os anos 80, levou a uma enorme derrota nas urnas do seu partido. Raúl Alfonsín foi enterrado no cemitério de Recoleta em Buenos Aires onde estão os restos mortais de outras grandes figuras da Argentina como Eva Perón.