Última hora

Última hora

Cimeira de Londres deixa nota de optimismo

Em leitura:

Cimeira de Londres deixa nota de optimismo

Tamanho do texto Aa Aa

A cimeira do G20 produziu um documento cheio de intenções que prometem acabar com a crise: estímulos financeiros de biliões de dólares aos mercados e às economias, regulação e supervisão das actividades financeiras, fim dos paraísos fiscais.

A proposta final engloba os principais pontos que dividiam os líderes dos países mais desenvolvidos e em vias de desenvolvimento. O anfitrião, Gordon Brown, mostrava a satisfação do dever cumprido: “Este é o dia em que o mundo se juntou para lutar contra a recessão global. Não com palavras, mas com um plano para a retoma global e reformas” Satisfeito também estava Nicolas Sarkozy, que viu respeitada a sua intenção firme de combater o sigilo bancário e a fuga de capitais. “Honestamente, nunca pensámos que chegaríamos a um acordo tão rápido. Não se trata da vitória de um campo sobre o outro, de uma visão sobre outra. É a tomada de consciência de toda a gente de que o mundo tem que mudar!”, afirmou. Mas, para a organização internacional, Oxfam, todos os esforços parecem ainda poucos porque não estão direccionados para uma mudança fundamental, que é a consciência ambiental: “Neste momento da crise em que toda a gente investe muito dinheiro nos estímulos fiscais, podia ser o momento de dizer, não podemos continuar a gerir a economia da mesma forma. Devemos geri-la no sentido de diminuir as emissões de carbono e isso necessita de grande investimento dos governos”. Mas há outras prioridades. A liquidez do FMI, por exemplo, vai ser reforçada em 500 milhões mil milhões de dólares para ajuda aos países mais necessitados. Está ainda previsto um pacote de 250 mil milhões para estímulo ao comércio internacional que caiu 9% no último ano.