Última hora

Última hora

Crise económica obriga Zapatero a remodelar governo

Em leitura:

Crise económica obriga Zapatero a remodelar governo

Tamanho do texto Aa Aa

Em plena crise económica, em Espanha, Pedro Solbes acaba por ser a principal vítima da remodelação governamental. O ministro da Economia deixa o lugar a Elena Salgado, até agora ministra da Administração pública. As críticas não tardaram. Os opositores apontam-lhe a falta de experiência em questões financeiras, mas reconhecem-lhe excelentes competências de direcção.

Elena Salgado passará a ser a número três do governo, ao acumular a pasta de segunda vice-presidente. No total, o primeiro-ministro mudou seis dos 16 ministros. Uma remodelação esperada após a derrota dos socialistas nas eleições de Março na Galiza. José Luis Rodrigues Zapatero justifica as alterações, evocando a luta contra a crise, as eleições europeias em Junho e a preparação da presidência espanhola da União Europeia. Zapatero afirma: “Estas alterações estão ligadas à evolução do contexto político e da situação económica, que exigem uma mudança de ritmo, para fazer face a novos impulsos, e uma nova força para a etapa que começa agora e que terá o momento forte durante o primeiro semestre de 2010”. A tarefa é complicada. A economia espanhola está em recessão, a dívida pública explodiu e a taxa de desemprego é a maior da União Europeia. Madrid espera ver no próximo ano os resultados do plano de relançamento económico de 70 mil milhões de euros.