Última hora

Última hora

Itália de luto para celebrar funerais das vítimas do terramoto

Em leitura:

Itália de luto para celebrar funerais das vítimas do terramoto

Tamanho do texto Aa Aa

A cidade italiana de L’Aquila prepara-se para celebrar hoje os funerais das quase três centenas de vítimas mortais do terramoto de segunda-feira.

Milhares de familiares vão deslocar-se esta manhã à região de Abruzzo para participar na cerimónia celebrada pelo número dois do Vaticano, o cardeal Tarcisio Bertone, numa sexta-feira santa declarada dia de luto nacional. Quatro dias depois do sismo, o trabalho das equipas de resgate aproxima-se do fim e a prioridade passa pela assistência aos 1.500 feridos, uma centena dos quais se encontra em estado grave. Um bombeiro afirma que, “as operações de busca prosseguem, pois há ainda várias pessoas desaparecidas. Os trabalhos deverão prosseguir pelo menos até domingo, até encontrarmos todos os desaparecidos”. Segundo as autoridades, 28 mil pessoas ficaram sem casa. Mais de metade foram alojadas provisoriamente em tendas, onde continuam a escassear os víveres, água potável e saneamento básico. De visita à região, o presidente italiano apontou ontem pela primeira vez as culpas da tragédia a “todos os que não respeitaram as regras anti-sísmicas na construção de casas”. Só ontem registaram-se dezenas de novas réplicas que vão dificultar a reconstrução dos mais de 10 mil edifícios destruídos. Como sublinha um refugiado, “as réplicas poderão ainda prolongar-se durante quatro a cinco meses”. O tribunal de l’Aquila abriu ontem uma investigação para apurar as responsabilidades na tragédia. O reforço do controlo sobre a aplicação das regras anti-sismicas tinha sido aprovado após um terramoto em 2005, mas a entrada em vigor da medida foi adiada para 2010 pelo governo Berlusconi.