Última hora

Última hora

"Contra-revolução das rosas" com menos apoiantes na Geórgia

Em leitura:

"Contra-revolução das rosas" com menos apoiantes na Geórgia

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo terceiro dia consecutivo a oposição georgiana voltou a bloquear os acessos ao parlamento em Tbilissi para exigir a demissão do presidente Mikhail Saakashvilli.

Os protestos reuniram apenas 5 mil pessoas, depois de concentrarem 20 mil na sexta-feira e 60 mil na quinta-feira. A oposição lançou anteontem uma campanha pacífica de desobediência civil e promete não arredar pé do centro da cidade. A líder do movimento, Nino Burjanadze afirma esperar, “mais manifestantes a partir de segunda-feira”, acusando o governo de tentar dissuadir os manifestantes. “Nós vamos permanecer aqui até que o presidente aceite demitir-se”, afirma. Entrentanto, a oposição acusou o campo presidencial de estar por detrás de um alegado ataque às tendas instaladas pelos manifestantes frente ao Parlamento. As autoridades atribuem a responsabilidade dos incidentes a grupos radicais. Face a uma oposição dividida que critica a falta de reformas democráticas no país, o presidente Saakashvilli reafirmou ontem que vai manter-se no poder até ao final do seu mandato, em 2013.