Última hora

Última hora

Sendero Luminoso volta a atacar exército peruano

Em leitura:

Sendero Luminoso volta a atacar exército peruano

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos 13 militares peruanos morreram vítimas de uma dupla emboscada atribuida ao Sendero Luminoso.

Um ataque que continua a reflectir a dificuldade que o Governo peruano enfrenta para combater a guerrilha maoista, que nos últimos tempos aparece cada vez mais associada ao narco-tráfico. Segundo as Nações Unidas, o Perú é o segundo maior produtor mundial de coca. As duas emboscadas sucederam com poucas horas de intervalo contra duas colunas militares e tiveram lugar numa zona florestal e montanhosa do departamento de Ayacucho, 500 quilómetros a sul da capital Lima. Trata-se da pior acção guerrilheira da última década no Perú, desde a última escalada dos conflitos entre o Sendero Luminoso, o movimento Tupac Amaru e os sucessivos Governos peruanos que, entre 1980 e 2000, fizeram mais de 70.000 mortos e desaparecidos. Em 1992 as forças governamentais afectas ao antigo presidente Alberto Fujimori capturaram o cabecilha do Sendero. Abimael Guzman foi condenado a uma pena de prisão perpétua em 2006.