Última hora

Última hora

Extrema-direita contesta novo governo húngaro

Em leitura:

Extrema-direita contesta novo governo húngaro

Tamanho do texto Aa Aa

Alguns milhares de pessoas manifestaram-se, esta terça-feira, em frente do Parlamento húngaro, exigindo a demissão do novo governo.

Uma manifestação conoctada com a extrema direita que aconteceu no exacto dia em que o governo garantiu o apoio paralamentar, por uma maioria confortável. A Europa foi um dos alvos, acusada de culpas maiores na crise que lançou a economia húngara numa profunda depressão. A ajuda do FMI evitou os piores cenários que colocavam o país à beira do colapso. Gordon Bajnai, o novo primeiro ministro foi duramente criticado pelos manifestantes: “Bem, este é realmente apenas um intervalo no tempo das ienas. Sai um traidor, um mafioso que vai ser substirtuído por outro mafioso”, disse uma manifestante. Gordon Bajnai vai encontrar o país numa situação difícil e a sua escolha destinou-se unicamente a evitar eleições antecipadas. Tem o apoio do Partido Socialista e dos Democratas Livres, o que pode ser pouco, para os problemas que o esperam: “A crise mundial é tão incomum que exige decisões incomuns, da esfera política, do estado e também da sociedade civil. Eu não quero jogar com as palavras. Não estou aqui como um orador, mas sim como um gestor da crise”, disse. E deixou duas linhas de força para a sua governação. Austeridade fiscal e rigor orçamental.