Última hora

Última hora

Obama quer mais implicação no combate ao narcotráfico

Em leitura:

Obama quer mais implicação no combate ao narcotráfico

Tamanho do texto Aa Aa

Recebido com entusiamo o presidente norte-ameriano chegou ao México para uma visita oficial, o primeiro país da América Latina a que se desloca como chefe de Estado.
 
A cooperação contra a droga, as questões comerciais e a política de imigração dos Estados Unidos vão dominar a agenda de Barck Obama, determinado a uma maior cooperação para pôr fim à violência ligada oa trafico de drogas
 
No dia anterior da visita de Obama ao México Dezesseis pessoas foram mortas num tiroteio no sudoeste do México entre a polícia e os narcotraficantes. 
Os dois países partilham uma fronteira de 3000 quilómetros e os EUA são o principal mercado dos cartéis de droga mexicanos.
 
No seu plano de combate ao trafico, o presidente mexicano  Filipe  Calderón  mobilizou  36.000 soldados e polícias mas os resultados são ínfimos.
O Governo mexicano mostrou gratidão pelo reconhecimento da Administração de Obama de parte da responsabilidade pelo que se vive no país.
 
A cooperação com o México já tinha sido abordada em Março, na visita da secretária de Estado Hillary Clinton, que sublinhou o facto de os EUA “partilharem responsabilidade” nesta questão.
 
Um outro dossiê que implica os dois países é a imigração. Nos Estados  Unidos vivem 12 milhões de imigrantes clandestinos que pedem uma solução.