Última hora

Última hora

África do Sul já vota

Em leitura:

África do Sul já vota

Tamanho do texto Aa Aa

As eleições gerais sul-africanas já começaram. Uma minoria dos 20 milhões de eleitores – Idosos, polícias e grávidas – teve a possibilidade de votar na véspera do dia do escrutínio.

No sufrágio desta quarta-feira existe um novo partido, o COPE, criado por dissidentes do histórico ANC e que tem como figura emblemática, o último presidente eleito, Thabo Mbeki. É quase certo que os sul-africanos vão conhecer um novo chefe de Estado, o quarto desde o fim do Apartheid. Chama-se Jacob Zuma, uma personalidade ligadas às bases do ANC, que conseguiu fazer cheque-mate a Mbeki, num aceso confronto político interno. A vitória será mais uma vez clara para o Congresso Nacional Africano, o partido de Nelson Mandela que simboliza o fim do apartheid no país. De acordo com as sondagens, Zuma vai recolher 67 por cento dos votos, um resultado menos expressivo do registado no sufrágio de 2004. Com esta previsão fica a dúvida se o partido consegue manter os dois terços necessários para modificar a constituição. Ao chegar ao poder, Zuma estará obrigado a operar alterações na política económico-social do país para satisfazer as forças que o catapultaram para linha da frente, como os sindicatos. Mas terá pouca margem de manobra face à crise económica mundial.