Última hora

Última hora

Uma Somália segura para combater pirataria

Em leitura:

Uma Somália segura para combater pirataria

Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia reuniu cerca de 60 milhões de euros para combater a pirataria e restabelecer a segurança na Somália.

Esta contribuição foi avançada durante a Conferência Internacional de Doadores, esta quinta-feira, em Bruxelas que contou com a presença do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e Durão Barroso. O presidente da Comissão Europeia foi duro nas palavras e incentivou à restauração da paz naquele país. “Por toda a Somália tem de haver uma governação responsável pelas pessoas e para as pessoas, pondo fim aos senhores da guerra, fim à pirataria e a anos de lucros obtidos à custa dos outros por uma casta militar auto-promovida. Por isso, deixemos que esta conferência comece também por responder, de uma maneira fundamental, aos desafios que as autoridades somalis enfrentam, de forma a recuperar a estabilidade e a paz no seu país. A segurança é o ponto de partida mas não pode ser o ponto final.” A União Europeia apelou aos cargueiros que tencionem passar o Golfo de Aden que avisem os comandos navais europeus anti-pirataria, Atalanta, de forma a aumentar a sua protecção contra os ataques. A operação Atalanta foi lançada pela UE em Dezembro. São oitos navios que patrulham as águas ao largo da Somália e a frota pode aumentar já este Verão. Esta quarta-feira, a marinha francesa conduziu ao porto de Mombassa, no Quénia, onze suspeitos. A acção faz parte da nona missão militar francesa contra a pirataria na região.