Última hora

Última hora

Eleições de Sotchi são um teste à democracia russa

Em leitura:

Eleições de Sotchi são um teste à democracia russa

Tamanho do texto Aa Aa

As eleições municipais deste domingo na cidade russa de Sotchi são um teste à política de abertura defendida por Dmitri Medvedev.

São seis os candidatos a presidente da câmara da cidade balnear do sul da Rússia. A Comissão Eleitoral local rejeitou, entre outras, as candidaturas de uma conhecida bailarina, de uma actriz de filmes pornográficos e de um ex-agente do KGB. O principal destaque vai para a luta entre o presidente interino da Câmara de Sotchi e membro do Partido pró-Kremlin “Rússia Unida”, Anatoli Pakhomov, e Boris Nemtsov, antigo ministro de governos de Boris Ieltsin e dirigente do movimento da oposição “Solidariedade”. Praticamente todos os candidatos não apoiados pelo Kremlin se queixaram de obstáculos criados durante a campanha eleitoral. Nemtsov acusa as autoridades de “falsificações conscientes”. O líder da oposição, Gary Kasparov, refere tratar-se de “uma campanha suja com golpes baixos porque há muita coisa em jogo. Não se trata de uma luta entre Boris Nemtsov e um presidente de Câmara desconhecido nomeado pelo governador da região. É literalmente uma luta contra Vladimir Putin porque Sotchi é a capital não oficial de Putin.” As sondagens oficiais dão a vitória a Anatoli Pakhomov, com mais de 40% dos votos. Boris Nemtsov deverá ser o terceiro mais votado com entre 4% e 7% dos sufrágios, mas acredita conquistar o segundo lugar para participar na segunda volta caso Pakhomov não conquiste a maioria absoluta.