Última hora

Última hora

Agrava-se a crise humanitária no Sri Lanka

Em leitura:

Agrava-se a crise humanitária no Sri Lanka

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas continuam a fugir do nordeste do Sri Lanka perante a violência dos combates.

Mais de 200 mil pessoas escaparam ao pesadelo da guerra e concentram-se agora em campos de refugiados com condições sanitárias e alimentares deploráveis. O governo do Sri Lanka recusou a entrada do ministro sueco dos negócios estrangeiros, Carl Bildt explicou que “eles não me consideram uma persona no grata e que serei bem-vindo noutra altura. Não tenciono aceitar o convite, o meu embaixador irá pedir explicações”. O chefe da diplomacia sueca devia visitar amanhã juntamente com os homólogos francês e britânico o Sri Lanka para pedir um cessar-fogo humanitário. A presidência da UE considerou um grave erro a decisão do governo do Sri Lanka de recusar um visto ao ministro sueco. Miliband e Kouchner decidiram manter a viagem como membros da UE. De acordo com a ONU, mais de 6.500 civis foram mortos e 14.000 feridos desde que o exército cingalês lançou em Fevereiro uma ofensiva «final» contra os separatistas tamiles na região nordeste da ilha. Segundo os Tigres de Libertação do Tamil o exército bombardeia a zona desmilitarizada no nordeste do país.