Última hora

Última hora

Aniversário do alargamento da UE

Em leitura:

Aniversário do alargamento da UE

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia recebeu com júbilo a adesão de 10 novos Estados, 14 anos depois da queda do Muro de Berlim, precisamente no dia 1 de Maio de 2004.

À entrada dos 10 países, há que juntar a Roménia e a Bulgária, que aderiram em 2007. O alargamento da União implicou um aumento de 26 por cento da população e de 34 por cento de território. Apesar dos receios dos euro cépticos, não se realizaram os cenários catastróficos: os países da Europa Ocidental, mais ricos, não foram “invadidos“pelo que se convencionou chamar “canalizadores polacos”. Com a adesão, os novos Estados membros também entraram no espaço Schengen e abriram as fronteiras. Por isso, mantem-se questão de fundo: a União Europeia deve delimitar fronteiras? Onde? Há vários países na “sala de espera”: A Croácia, deve aderir em 2010 e, no ano seguinte, a Macedónia, candidata desde 2005 mas ainda à espera das negociações. Há também a Turquia…só que com um impasse nas negociações e a Albânia, que acabou de pedir a adesão. Montenegro, Bósnia-Herzegovina e Sérvia não têm estatuto de países candidatos. E a Islândia, devido à crise económica em que vive, também pode vir a candidatar-se. O dossiê mais controverso é decididamente o da Turquia por causa da questão que se põe sobre a fronteira comunitária: “onde parar?” : A Alemanha e a França opõem-se a esta entrada devido ao défice democrático e ao conflito por causa de Chipre. Alguns países, incluindo a França, advertiram que não vai haver mais alargamento para além dos 27 sem Tratado de Lisboa, feito para melhorar o funcionamento da Europa alargada, mas que os irlandeses e os checos não ratificaram, e o presidente polaco ainda não assinou. A crise económica e a falta de interesse da população pelos assuntos europeus colocam o futuro da União em “banho Maria” …muito diferente do júblilo de outros tempos…