Última hora

Última hora

Gripe suína:México optimista e OMS prudente

Em leitura:

Gripe suína:México optimista e OMS prudente

Tamanho do texto Aa Aa

A gripe A (H1N1) começa a dar sinais de estar a recuar no México.

O número de internamentos está a diminuir e os doentes estão a reagir bem aos tratamentos. Os restaurantes e os cafés da capital deverão voltaram a abrir as portas esta quarta-feira, uma semana depois de as autoridades terem ordenado a interrupção da actividade para combater o contágio da gripe suína. Um dia depois a medida vai estender-se a museus, bibliotecas e centros religiosos. No entanto, a OMS continua a pedir precauções. “É importante que mantenhamos e reforcemos o estado de alerta e vigilância. Estamos preocupados com o movimento da infecção para o hemisfério Sul porque essa parte do mundo vai entrar nos meses de Inverno”, declarou Keiji-Fukuda, o número dois da Organização Mundial de Saúde. Na Europa, o balanço continua a aumentar, nomeadamente em Espanha, que lidera a lista com 54 casos confirmados, sendo que 11 se encontram hospitalizados. Apesar disso, alguns especialistas falam em alarmismo. Um deles é Vicente Larraga, director do Concelho espanhol de investigação. “Estamos um pouco impressionados com o impacto que teve nos meios de comunicação uma gripe que até ao momento tem sido muito leve, com uma incidência mais ou menos semelhante à sazonal e com menos mortes que a gripe sazonal”, adiantou o investigador. Esta segunda-feira, a Organização Mundial de Saúde dizia que os casos confirmados ultrapassam os mil infectados em 20 territórios embora a transmissão entre humanos se reduza a seis países. Em Hong-Kong as autoridades locais confinaram centenas de hóspedes num hotel da cidade após a identificação de um caso. O Governo mexicano, que enviou um avião para a China para repatriar dezenas de cidadãos mexicanos, acusa Pequim de estar a descriminar pessoas por causa da doença.