Última hora

Última hora

Senado checo aprova Tratado de Lisboa

Em leitura:

Senado checo aprova Tratado de Lisboa

Tamanho do texto Aa Aa

É um suspiro de alívio para os defensores do Tratado de Lisboa. O Senado checo ratificou o texto. A ratificação não estava garantida: era necessário uma maioria de três quintos e uma grande parte dos liberais do ODS – o Partido Democrata Cívico, que domina a câmara alta – opõe-se abertamente ao Tratado.

Embora não muito entusiasta, o ainda primeiro-ministro, Mirek Topolanek, tinha apelado a um voto favorável ao texto – sob pena de a República Checa ficar isolada. Além disso, Paris e Berlim tinham ameaçado que sem Tratado de Lisboa não há mais alargamentos. A República Checa é uma grande defensora da adesão da Croácia. Com esta ratificação, o Tratado de Lisboa tem boas perspectivas de ser aprovado pelos irlandeses, num próximo referendo, depois de já ter sido rejeitado, uma vez. Mas o futuro do texto, na República Checa, ainda não esta garantido: os eurocépticos do ODS tinham prometido reenviar o Tratado ao Tribunal Constitucional, em caso de ratificação pelo Senado. Além disso, falta ainda a assinatura do presidente checo, Vaclav Klaus, também ele, um eurocéptico.