Última hora

Última hora

OMS debate produção de vacinas contra a gripe epidémica

Em leitura:

OMS debate produção de vacinas contra a gripe epidémica

Tamanho do texto Aa Aa

As sequelas da gripe suína ainda se fazem sentir nas ruas da cidade do México. Num momento em que o país tenta regressar à normalidade, mesmo depois de ter anunciado 13 novas mortes, só metade das lojas e restaurantes da capital abriram as portas.

Nos locais fechados, o governo exige que as pessoas sejam mantidas a uma distância mínima de 2 metros. Uma regra obrigatória também nas escolas e zonas turísticas, reabertas progressivamente a partir de amanhã. Um cliente de um restaurante afirma estar contente com o regresso à normalidade mas lembra que, “é importante manter as medidas de prevenção”. O dono do estabelecimento afirma, por seu lado, “que os clientes protestam quando insiste para que lavem as mãos ou que preencham os formulários dos serviços de saúde”. O presidente mexicano lembrou ontem que ainda não é hora de “cantar vitória” sobre o vírus. A OMS vai reunir em Genebra, na próxima semana, os principais grupos farmacêuticos mundiais para debater a produção de novas vacinas anti-gripais. “A gripe sazonal provoca a morte de entre um quarto e meio milhão de pessoas em cada ano. É uma doença grave e por isso precisamos de proteger as pessoas mais vulneráveis da infecção”, segundo uma responsável da OMS. Um laboratório canadiano anunciou ontem ter identificado o genoma do vírus H1N1 que permitirá iniciar a produção de uma vacina contra a gripe epidémica. Ate hoje a industria farmacêutica dava prioridade à prevenção da gripe sazonal.