Última hora

Última hora

'Sites' mostram os melhores e os piores eurodeputados

Em leitura:

'Sites' mostram os melhores e os piores eurodeputados

Tamanho do texto Aa Aa

A um mês das eleições europeias e em nome da transparência, um ‘site’ mostra quem são os bons e os maus alunos do hemiciclo de Estrsburgo. Isto é: quem vai às sessões plenárias e quem não vai, quem respeita a disciplina de voto do partido e quem não respeita….

Criado pela London School of Economics e pela Universidade Livre de Bruxelas, o ‘site’ http://www.votewatch.eu mostra que os deputados austríacos são os mais assíduos. Participaram em quase 93% das sessões plenárias. Seguem-se estónios, finlandeses e eslovacos. Os portugueses, com 87%, têm um respeitável oitavo lugar. Os piores são os italianos. Dados que confirmam os de um outro ‘site’: http://www.parlorama.eu, que foi encerrado por causa das ameaças dos eurodeputados. O ‘site’ compilava a presença nas sessões plenárias, mas também nas comissões e outras variáveis. E também nesta classificação, os italianos eram os piores. “Os piores são mesmo os piores! Isto é: nenhuma presença em sessão plenária – é certo que elas decorrem durante três dias e meio por mês… mas também nenhuma questão escrita, nem relatório, nenhum parecer…”, explica Flavien Deltort, o editor do site, que promete reabri-lo em breve – ainda durante este mês. O seu advogado garante que a legalidade será respeitada. Mas para o analista Pascal Delwit, a presença dos eurodeputados não é tudo. “O peso político de um deputado europeu pode, por vezes, ser mais importante do que a sua iniciativa quantitativa. Se um eurodeputado tem peso político numa decisão do Conselho Europeu, do Conselho de ministros ou da Comissão, então fez um trabalho mais efectivo para o Parlamento Europeu do que outros com um número apreciável de presenças nas comissões parlamentares”, diz. Quantidade não é sinónimo de qualidade, é certo… Mas um excesso de absenteísmo dos eurodeputados talvez conduza, em parte, à abstenção dos eleitores.