Última hora

Última hora

Intel vai recorrer da multa de 1,06 mil milhões de euros aplicada por Bruxelas

Em leitura:

Intel vai recorrer da multa de 1,06 mil milhões de euros aplicada por Bruxelas

Tamanho do texto Aa Aa

A Intel já anunciou que vai recorrer da decisão de Bruxelas. A Comissão Europeia multou o fabricante de microchips em mil e 60 milhões de euros por abuso de posição dominante. A Intel domina o mercado global de microchips: no ano passado, respondia por cerca de 80% do mercado; a rival AMD, em segunda posição, detinha apenas 17 por cento.

Bruxelas investigou as práticas da empresa, desde o ano 2000. E conclui que elas não respeitam as regras da concorrência. “A Intel efectuou pagamentos directos a fabricantes de computadores para que parassem ou adiassem o lançamento de produtos com ‘microchips’ rivais e para limitarem a sua distribuição, quando já estivessem disponíveis”, explicou Neelie Kroes, comissária para a Concorrência. A intel, que já anunciou ir apresentar recurso junto do Tribunal Europeu de Justiça, nega ter prejudicado os consumidores e desmente categoricamente as acusações de Bruxelas. “A Intel nunca exigiu a um cliente que não comprasse AMD em troca de um desconto, nem aumentou os preços de um cliente que tenha decidido comprar AMD”, afirmou Bruce Sewell, jurista da empresa. E continuou: “Como qualquer outra empresa, a Intel está em concorrência e quer ganhar o máximo de clientes possível. E de cada vez que fazemos uma venda ou que garantimos um negócio preferencial, os nossos concorrentes perdem essa venda ou esse negócio. Esta é a essência da concorrência.” A Intel é o terceiro gigante norte-americano perseguido por Bruxelas, por abuso de posição dominante. O primeiro foi a IBM, nos anos 80, e mais recentemente, a Microsoft. Mas esta multa é um recorde – que a Intel dispensava de boa vontade.