Última hora

Última hora

Junta birmanesa vai julgar opositora Aung San Suu Kyi

Em leitura:

Junta birmanesa vai julgar opositora Aung San Suu Kyi

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades birmanesas acusaram formalmente a opositora Aung San Suu Kyi de ter violado a prisão domiciliária na qual se encontra há mais de uma década.

A líder da oposição vai ser julgada a partir da próxima segunda-feira e poderá ser condenada a cinco anos de cadeia por, alegadamente, ter albergado um cidadão norte-americano há uma semana. A sentença surge num momento em que expirava a pena de prisão domiciliária e que as autoridades procuravam um pretexto para manter a opositora sob o controlo da junta militar. Os tribunais vão também julgar o cidadão norte-americano que teria entrado clandestinamente na casa de San Suu Kyi. John Yettaw, de 53 anos, teria ludibriado a vigilância para poder encontrar-se com a nobel da paz, nadando através de um lago. O processo foi vivamente criticado pela ONU que denuncia a detenção de San Suu Kyi como ilegal, mesmo à luz da lei birmanesa. O estado de saúde da opositora de 63 anos tinha-se agravado nos últimos dias, depois de ter sido hospitalizada por problemas de tensão arterial.