Última hora

Última hora

Sri Lanka festeja fim da "guerra contra o terrorismo"

Em leitura:

Sri Lanka festeja fim da "guerra contra o terrorismo"

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Sri Lanka deslocou-se ao Parlamento para celebrar o fim do que chamou de “guerra contra o terrorismo no país”.

Mahinda Rajapaksa afirmou que, “o exército libertou a nação e que a lei reina finalmente sobre todo o território, unido sob um único governo. Temos agora de encontrar uma solução para este conflito, aceite por todas as comunidades. Uma solução baseada na filosofia do budismo”, afirmou Rajapaksa. Mas a declaração de vitória do líder da maioria budista é manchada ainda pelas acusações de crimes de guerra e pela crise humanitária denunciada por várias organizações não governamentais. Rebeldes e exército trocam acusações sobre a responsabilidade do massacre de milhares de civis durante a ofensiva dos últimos dias contra o último bastião da guerrilha no Nordeste do país. Segundo algumas fontes, os combates terão provocado mais de 3 mil mortos e quase uma centena de milhar de refugiados. As organizações não governamentais falam de crise humanitária. Estados Unidos e União Europeia propuseram já a abertura de um inquérito internacional a alegados crimes de guerra. O tema deverá animar os debates da cimeira de amanhã entra a União Europeia e a China, que durante duas décadas foi o principal apoio do exército de Colombo.