Última hora

Última hora

Descoberta "meteórica" no mundo da paleontologia

Em leitura:

Descoberta "meteórica" no mundo da paleontologia

Tamanho do texto Aa Aa

O elemento que faltava entre o homem e o mundo animal poderá ter sido encontrado.

Depois de 200 anos de investigações foi apresentado, em Nova Iorque, o fóssil do esqueleto de um macaco, classificado como o elo perdido da evolução humana. Um dos investigadores do instituto de Franckfort afirma que “não se trata de uma tetra-tetravó de uma tetravó mas de uma tia afastado de uma tetra-tetravó”. O impacto desta descoberta, efectuada na Alemanha há dois anos, é considerado pelo mundo da paleontologia, como «um asteróide a cair na Terra». Os investigadores afirmam que fica agora confirmada a Teoria da Evolução das Espécies de Charles Darwin. Uma equipa de líderes mundiais de investigadores de fósseis, liderada pelo professor Jorn Hurum, do Museu de Historia Nacional da Noruega, investigou, secretamente, durante os últimos dois anos, o fóssil da jovem macaca de 30 centímetros. O achado foi transportado para Nova Iorque sob rigorosas medidas de segurança e foi revelada ao mundo durante o início das cerimónias do bicentenário do nascimento de Darwin.