Última hora

Última hora

Europa mais dependente da Rússia

Em leitura:

Europa mais dependente da Rússia

Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia tornou-se, nos últimos oito anos, numa importante potência comercial e um dos principais parceiros da União Europeia. As exportações russas para o espaço comunitário quintuplicaram desde 2000 e as importações quase triplicaram.

Se os produtos alimentares e as matérias-primas continuam a representar a maior parte das trocas, a energia tornou-se na questão mais espinhosa. O grupo dos 27 está fortemente dependente das importações russas. O défice comercial, neste sector, ultrapassou os 117 mil milhões de euros, no ano passado. O défice existe também no conjunto dos vários sectores. No ano passado os Vinte e Sete importaram 173 mil milhões de euros em produtos da Rússia, enquanto as exportações foram de 105 mil milhões. Uma das questões que as duas partes vão ter que resolver nos próximos tempos é a dos oleodutos e gasodutos que vão ligar a Rússia à Europa, para um fornecimento de gás e petróleo mais rápido. A Rússia defende o gasoduto South Stream, que está em fase de projecto e deve ser concluído em 2015. Três países da União Europeia directamente afectados por este projecto, a Itália, a Grécia e a Bulgária, tal como um país candidato, a Sérvia, assinaram acordos com Moscovo para a realização de estudos para esta construção. Mas a solução preferida da União Europeia é o Nabucco, que deve atravessar a Turquia. Este projecto fica em risco se o South Stream for avante. A União Europeia pede, mais uma vez, à Rússia que mantenha a segurança energética e evite rupturas no fornecimento.