Última hora

Última hora

Forte mobilização da oposição georgiana no Dia da Independência

Em leitura:

Forte mobilização da oposição georgiana no Dia da Independência

Tamanho do texto Aa Aa

No Dia da Independência da Geórgia, a oposição encheu um estádio de futebol para mais uma vez pedir a demissão do presidente Mikhail Saakashvili. O protesto juntou cerca de 50 mil pessoas, munidas de lenços brancos, que depois desfilaram pelas ruas até ao parlamento, onde a oposição se mantém acampada desde meados de Abril.

Nino Burjanadze, uma das principais líderes da oposição depois de ter sido aliada do presidente durante a “Revolução das Rosas”, fala de um dia importante e diz-se satisfeita com a participação. E acrescenta: “Estas pessoas esperam verdadeiras mudanças e vão tê-las, conseguiremos implementar essas mudanças em breve”. A manifestação da oposição obrigou o governo a anular a tradicional parada militar do Dia da Independência. As autoridades temiam confrontos. Mikhail Saakashvili é acusado de monopolizar o poder e de não ter defendido os interesses do país perante a Rússia. O chefe de Estado comemorou os 18 anos de independência da União Soviética com uma pequena cerimónia no cemitério militar, em Tbilissi. No seu discurso recordou os soldados mortos na guerra do ano passado e apelou à unidade. Segundo Saakashvili, “os soldados que morreram no ano passado contribuíram para o futuro da Geórgia e agora, juntos, temos de continuar o trabalho”. “Viva a Independência da Geórgia, viva a luta pelo nosso futuro, continuaremos a lutar e venceremos”, afirmou. Estados Unidos e União Europeia seguem com atenção a situação política na Geórgia e pedem negociações imediatas e sem condições sobre um programa de reformas em nome da democracia do país.