Última hora

Última hora

Russos e canadianos vão resgatar Opel alemã

Em leitura:

Russos e canadianos vão resgatar Opel alemã

Tamanho do texto Aa Aa

O governo alemão e a General Motors chegaram ontem finalmente a um entendimento em Berlim para salvar a Opel de uma eventual falência.
 
A filial alemã da GM vai ser adquirida a 55% por um consórcio formado pela construtora de acessórios para automóvel canadiana Magna e pelo banco público russo Sberbank.
 
O acordo final deverá ser firmado nas próximas semanas, mas Berlim garantiu já uma injecção de 1,5 mil milhões de euros para resgatar a Opel.
 
O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Frank Steinmeier, afirmou que, “não se podem excluir os riscos da operação, mas creio que encontrámos uma solução responsável com fundos privados e públicos, para garantir a sobrevivência das fábricas e do maior número de postos de trabalho da Opel na Alemanha”. 
 
A quatro meses das legislativas, conservadores e sociais-democratas querem evitar a todo o custo o desmoronamento da construtora que emprega mais de 25 mil trabalhadores em todo o país.
 
Uma razão que levou ao afastamento do negócio da italiana FIAT que previa o encerramento de pelo menos uma fábrica.
 
Um trabalhador da Opel afirma-se contente, “mas ainda não estamos a salvo, é importante que os clientes continuem a comprar os nossos carros”.
 
Outro teme as consequências da reestruturação da empresa ao nível de despedimentos. “Quem é que vai pagar por isto, de certeza que vão ser os empregados, mas o importante é que a empresa resista”.
 
O negócio de 700 mil milhões de euros realiza-se num momento que a General Motors poderá declarar falência na próxima segunda-feira.
 
A assinatura do acordo final tornará o banco público russo Sberbank no maior accionista da Opel alemã, com 35% da empresa, a par com a General Motors.