Última hora

Última hora

Britânicos mais abstencionistas

Em leitura:

Britânicos mais abstencionistas

Tamanho do texto Aa Aa

Os britânicos encaram as eleições europeias com uma mistura de desilusão e desconfiança em relação aos principais partidos. O escândalo das despesas oficiais dos deputados e ministros cobriram de vergonha o governo e tanto os políticos como os eleitores mostram-se mais cépticos e mais alheios que nunca dos problemas europeus.

“Acho que se comportaram vergonhosamente, e quanto mais rápido se demitirem e designarem um novo governo melhor será. Por isso, para mim as eleições europeias não estão entre as principais preocupações e não vou votar.” Os abstencionistas já são bastantes, tradicionalmente, mas este ano, a ida às urnas vai servir como voto de protesto: “Isto pode levar a uma abstenção maior do que o normal. Por outro lado, a gente também podia dizer: “Agora vão ver, vou votar pela oposição ou pelos Liberais democratas ou possivelmente por algum partido mais pequeno, porque precisamente porque são pequenos e não têm sucesso eleitoral podem ser percebidos erradamente como diferentes dos outras”. Nesta deserção dos colégios eleitorais ligada ao escândalo das notas de despesas, a União Europeia transformou-se no bode expiatório… E os partidos abertamente anti europeístas como o BNP de extrema direita, ou o Partido pela Independência da Grã-Bretanha são os únicos que ganham. “Bom, vou dar uma oportunidade a UKIP, porque estou muito desiludida. Sempre apoiei os conservadores, toda a vida fui educada a votar neles”. A Europa não tem nada a ver com o escândalo das notas de despesas mas pode vir a pagar a factura por efeito dominó: “ Bem, se aqueles que têm poder na Europa se consideram numa posição superior à do governo nacional e estão no estrangeiro, na Europa, em Bruxelas, então o cepticismo ainda é mais exagerado”. No Reino Unido, os mitos sobre as ingerências de Bruxelas na vida política nacional continuam a pesar muito e a crise não tem mudado a opinião dos eurocépticos. “Vou votar, mas o que acho é que devíamos sair da Europa, valer-nos por nós mesmos, porque estou farta de ouvir as barbaridades que a Europa está a fazer conosco”. Os britânicos votam no dia quatro de Junho. Em 2004 a abstenção foi de 61%…tudo indica que este ano será ainda maior…