Última hora

Última hora

Conservadores com 40% dos votos relegam trabalhistas pas 3.° ou 4.° lugar

Em leitura:

Conservadores com 40% dos votos relegam trabalhistas pas 3.° ou 4.° lugar

Tamanho do texto Aa Aa

Gordon Brown deve ser o grande perdedor das eleições europeias. Embora não envolvido no escândalo das notas de despesa, o primeiro-ministro britânico deve sofrer as consequências. Os trabalhistas, actualmente, no poder, não devem recolher mais de 16% dos votos – o que lhes dá apenas o terceiro ou mesmo o quarto lugar.

Os conservadores de David Cameron são dados como vencedores das eleições, com 40% das intenções de voto. Os ‘tories’ devem abandonar o grupo do Partido Popular Europeu para fazerem um grupo antifederalista com os parceiros polacos e checos. A subir, nas sondagens, está o UKIP, o Partido da Independência do Reino Unido, eurocéptico. Desde o início do escândalo das ajudas de custo dos políticos, as intenções de voto no UKIP triplicaram: atingem, acualmente, os 19%. Ao mesmo tempo, a extrema-direita também avança nas sondagens, com um discurso racista. Gordon Brown admite que não há nada a fazer contra “partidos que praticam políticas de discriminação, preconceiros, racismo e anti-semitismo. E infelizmente é isso que acontece no BNP, o Partido Nacional Britânico. Essa é a essência do partido, que pratica esse tipo de políticas.” O BNP, o Partido Nacional Britânico pede aos eleitores que “punam os porcos” – isto é, “os homens políticos corruptos que têm o nariz em cima da trufa”, afirma. Em 2004, o BNP recolheu 4,9% dos votos, mas agora as sondagens prevêem entre sete e 11%, o que lhe podia permitir obter um lugar no hemiciclo de Estrasburgo.