Última hora

Última hora

Tragédia no Atlântico

Em leitura:

Tragédia no Atlântico

Tamanho do texto Aa Aa

São muito remotas as hipóteses de se encontrar pessoas com vida entre os 216 passageiros e os 12 tripulantes que seguiam a bordo do avião da airfrance desaparecido esta noite quando sobrevoava o atlântico.

A maioria dos passageiros que fazia a viagem entre o Rio de Janeiro e Paris é de nacionalidade brasileira. A transportadora aérea anunciou 76 franceses e 19 alemães estavam no avião. A existência de um português também foi confirmada pelo governo de Lisboa. O Airbus A330 descolou na noite de domingo do aeroporto Tom Jobim do Rio de Janeiro com destino a Paris. Era suposto aterrar na capital francesa às 11 horas locais. Na última mensagem entre o avião e a torre de controlo brasileira, os pilotos informaram que iam começar a sobrevoar espaço aéreo de Dacar. Tudo indica que se terá despenhado entre Cabo Verde e o Senegal. Meios militares brasileiros e franceses estão envolvidos numa ampla operação de busca. A Air France acredita que a aeronave foi atingida por um relâmpago. O director geral da transportadora aérea referiu em conferência de imprensa que depois de “um último contacto às 4 horas da manhã de Paris, o avião entrou numa zona de forte turbulência e trovoada. Mais tarde receberam mensagens automáticas do aparelho a indicar falhas em vários sistemas”. As autoridades francesas colocaram em marcha todos os dispositivos existentes para apurar as circunstâncias da queda do avião. Uma equipa de investigadores deslocou-se ao aeroporto parisiense para recolher amostras de ADN dos familiares com o objectivo de proceder a uma identificação rigorosa quando e se encontrarem os corpos das vítimas.