Última hora

Última hora

Pontiac teme transformar-se em cidade fantasma com encerramento de fábrica da GM

Em leitura:

Pontiac teme transformar-se em cidade fantasma com encerramento de fábrica da GM

Tamanho do texto Aa Aa

Em Pontiac, a General Motors (GM) trouxe a glória e agora ameaça com a decadência. A cidade do Michigan deu o nome a uma marca quando a General Motors se instalou na zona em 1926. Agora a unidade de montagem faz parte das 11 que o construtor automóvel americano vai fechar.

A cidade de 66 mil habitantes teme pelo seu futuro. Nick Mansour, de origem iraquiana, instalou-se em Pontiac em 19996. No último ano, a sua pizaria perdeu 50% das receitas. Agora afirma: “Sabe o velho provérbio que diz quando a General Motors espirra, os Estados Unidos apanham uma constipação. É verdade, não se pode negar, sobretudo, em Pontiac. Sabe como é, sabe-se que há algo de errado. É como uma nuvem, você não vê o sol e sabe que o tempo não está bom”. A marca Pontiac chegou a ser o símbolo do carro americano desportivo. Hoje representa apenas 2% do mercado. O centro da cidade é o espelho da crise. Há inúmeros comércios fechados e a taxa de desemprego atinge os 13 por cento. Carla Inman resume a situação: “Se passear nas ruas pode ver que a cidade está adormecida”, mas, quando a fábrica fechar, “estou certa que depois estará em coma”. Harold Barthley é um reformado da fábrica Pontiac. Face à notícia do encerramento diz quase ter chorado, pensando a todos os anos de trabalho, aos amigos e conhecidos que ainda lá trabalham. Actualmente, a unidade de montagem de Pontiac emprega 1100 pessoas. O encerramento da fábrica deverá ter lugar até ao Outono.