Última hora

Última hora

Governo e sentimento europeu em teste na Irlanda

Em leitura:

Governo e sentimento europeu em teste na Irlanda

Tamanho do texto Aa Aa

Os irlandeses votam na sexta-feira para as eleições europeias, vistas no país como um referendo à actuação do Governo face à crise económica e um teste à eventual mudança de sentimentos face à Europa.

O governante Fianna Fail deverá sofrer as consequências do descontentamento com o executivo. O cabeça-de-lista do partido Eoin Ryan acredita que “muitas pessoas percebem que o Governo teve de tomar decisões difíceis. A população espera que a Europa possa resgatar o país da recessão”. Um ano depois de rejeitar o Tratado de Lisboa, o eleitorado inverte a tendência e, na última sondagem, 54 por cento dos irlandeses dizem ser a favor do texto, que deverá ser submetido a novo referendo no Outono. Os apoiantes do Sinn Fein são dos poucos a continuar dispostos a bloquear o Tratado. Face à crise económica, 81 por cento dos irlandeses acredita agora que o país está melhor dentro da União Europeia. Questionado sobre a rejeição que, há um ano, abriu uma crise institucional na Europa, este irlandês explica que “na altura, havia um grande sentimento anti-Governo e várias pessoas usaram o voto para exprimir esse sentimento, o que faz parte da natureza humana”. Tal como noutros países-membros, os candidatos irlandeses temem uma elevada abstenção. Mas a sublinhar os “ventos de mudança”, o partido Libertas – um dos principais opositores ao Tratado de Lisboa – é apontado como um dos grandes perdedores.