Última hora

Última hora

Extrema-direita catapultada para o segundo lugar na Holanda

Em leitura:

Extrema-direita catapultada para o segundo lugar na Holanda

Tamanho do texto Aa Aa

Finda a contagem decrescente, foi a surpresa na Holanda: o PVV, o Partido para a Liberdade, de extrema-direita, salta directamente para o segundo lugar, nas suas primeiras eleições europeias. Segundo as sondagens realizadas à boca das urnas, o PVV tera arrecadado mais de 15% dos votos, o que lhe permitirá eleger quatro dos 25 eurodeputados a que a Holanda tem direito. Menos um do que os cristãos-democratas do CDA e tantos quanto os trabalhistas do PvdA, ambos no governo.

Geert Wilders, que baseou toda a campanha num discurso anti-islão, não irá contudo a Estrasburgo. Décimo da lista, o líder do PVV já anunciou que se for eleito por voto preferencial – o que é possível, na Holanda – renunciará ao cargo de eurodeputado. Os trabalhistas, actualmente na coligação governamental, são assim relegados para terceiro lugar, com 13,9% dos votos e tantos eurodeputados quanto a extrema-direita. Os cristãos-democratas, embora mantenham o primeiro lugar, perdem cinco por cento dos votos e dois eurodeputados. E o primeiro-minsitro, Jan Peter Balkenende, ganha uma situação interna difícil de gerir. A Holanda foi, juntamente com o Reino Unido, o primeiro país a votar. Quarenta por cento dos 13 milhões de eleitores terão ido às urnas. As assembleias de voto fecharam às 21 horas locais, 20 horas, em Lisboa.