Última hora

Última hora

Holanda vai ter de justificar-se perante Bruxelas

Em leitura:

Holanda vai ter de justificar-se perante Bruxelas

Tamanho do texto Aa Aa

A extrema-direita de Geert Wilders foi a grande vencedora das eleições europeias, na Holanda. O PVV, Partido para a Liberdade, foi catapultado para o segundo lugar, com 17% dos votos, conquistando quatro dos 25 assentos a que a Holanda tem direito, em Estrasburgo, nestas que foram as primeiras eleições europeias em que o PVV participa.

O CDA, o partido democrata-cristão, no governo, manteve o primeiro lugar, mas perdeu 4,5%, para os 19,9% dos votos. Os trabalhistas, do PvdA, na coligação governamental, perderam 11%, face a 2004, e têm apenas 12,1 por cento. A União Cristã, terceiro partido da coligação, foi o único do governo a ganhar um ponto, e mantém os seus dois lugares no Parlamento Europeu. O partido do primeiro-minsitro, Jan Peter Balkenende passa, assim, de sete para cinco eurodeputados. Os trabalhistas, que também tinham sete, terão apenas três. Estes são os resultados quando mais de 99% dos boletins já foram contados. A Comissão Europeia garante que vai pedir explicações às autoridades da Holanda, para verificar se houve ou não violação da legislação comunitária. Embora as eleições decorram entre os dias 4 e 7 de Junho, os resultados dos Vinte e Sete deveriam ser conhecidos apenas na noite de domingo. Mas a holanda, tal como ja fizera há cinco anos, diculgou antes os resultados. Treze milhões de eleitores foram chamados às urnas, mas apenas 36% foi votar.