Última hora

Última hora

Coligação anti-síria vence no Líbano

Em leitura:

Coligação anti-síria vence no Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

O mundo ocidental respirou de alívio com a derrota do Hezbollah nas eleições no Líbano, ao mesmo tempo que em Beirute os festejos se prolongaram por toda a noite.

A coligação anti-síria, liderada por Saad al-Hariri, venceu o escrutínio com maioria absoluta. Mais do que o resultado, foi a transparência da votação que deixou o povo satisfeito: “Não interessa quem ganhou, o importante é que o Líbano assistiu a umas eleições democráticas, algo que não havia há muito tempo”, diz um cidadão. Passada a euforia, o governo saído destas eleições vai ter uma tarefa difícil para cumprir: desarmar o Hezbollah. O movimento islâmico esteve na origem da agressão, por parte de Israel, no Verão de 2006. Saad al-Hariri, milionário e filho do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri, assassinado em 2005, é o líder do movimento “14 de Março”, vencedor das eleições. É ele a cara da facção vencedora, mas é o actual primeiro-ministro, Fouad Siniora, também membro do movimento, quem deve ser reconduzido no cargo. O empresário Najib Mikati é também visto como possível futuro chefe do governo. Segundo a constituição libanesa, apesar da maioria absoluta, o governo tem de ser de unidade nacional e vai provavelmente incluír membros do Hezbollah.