Última hora

Última hora

Falência da Arcandor ameaça milhares de empregos na Alemanha

Em leitura:

Falência da Arcandor ameaça milhares de empregos na Alemanha

Tamanho do texto Aa Aa

A Arcandor entrou em processo de falência esta terça-feira depois do Estado alemão ter recusado uma injecção financeira para enfrentar uma dívida superior a 700 milhões de euros. 43 mil postos de trabalho estão agora ameaçados.

A cadeia armazéns de vendas a retalho Karstadt e a empresa de vendas por correspondência Primondo são abrangidas pela falência da casa-mãe. Já a Thomas Cook está fora deste processo apesar da Arcandor deter mais de 50 por cento do capital da agência de viagens. O porta-voz da Arcandor fez no entanto questão de sublinhar que “todas as empresas do grupo iriam continuar a operar.” Uma mensagem dirigida aos clientes de uma cadeia de lojas que se encontra espalhada pelo país. O processo de falência foi desencadeado depois do executivo de Berlim ter recusado uma ajuda financeira directa à Arcandor. A chanceler alemã, Angela Merkel, explica que “um processo de falência pode ser uma oportunidade para reestruturar a companhia, recolocá-la de pé e abrir novas perspectivas de negócio.” O governo federal vai pagar os salários dos trabalhadores até ao mês de Agosto. Berlim espera que a Arcandor seja capaz de apresentar um plano de reestruturação sério e viável. O futuro pode passar pela venda de activos à Metro, empresa concorrente da Karstadt.