Última hora

Em leitura:

Iranianas batem-se pela igualdade de direitos


mundo

Iranianas batem-se pela igualdade de direitos

Além do novo chefe de Estado, nas eleições iranianas estão, também, em jogo os direitos das mulheres.

Os analistas políticos acreditam que a taxa de participação pode bater recordes, em parte graças ao contributo do sexo feminino. A igualdade de oportunidades prometida pelo candidato reformador renovou a esperança das iranianas, que esta sexta-feira compareceram às urnas em massa. Uma cidadã iraniana refere que “na Revolução Islâmica muitas pessos verteram sangue pela nossa geração”. Outra sublinha, que esta é uma geração que quer mudar o futuro e “a pessoa que ganhar deve alterar as coisas.” O escrutínio promete entrar para a história do país desde logo, pela visibilidade dada à mulher do antigo chefe de Governo durante a campanha eleitoral. A tenacidade de Zahra Ranavard levou a que fosse mesmo comparada à primeira dama, norte-americana. Ao dar voz ao eleitorado feminino, tornou-se num símbolo nacional admirada por milhões de iranianas que podem revelar-se decisivas nos resultados das eleições.
Artigo seguinte

mundo

Marrocos: 12% dos cargos reservados às mulheres