Última hora

Última hora

Washington aplaude discurso de Netanyahu

Em leitura:

Washington aplaude discurso de Netanyahu

Tamanho do texto Aa Aa

Pressionado pela comunidade internacional, principalmente pelos Estados Unidos, Benjamin Netanyahu aceitou pela primeira vez a possibilidade de um Estado palestiniano.

Num muito aguardado discurso proferido este domingo, o primeiro-ministro israelita impõe no entanto condições: Uma desmilitarização do futuro Estado e o reconhecimento palestiniano da soberania israelita. As palavras de Netanyahu soaram como uma tentativa de acabar com um mal-estar entre Washington e o Estado judaico. O presidente Barack Obama saudou o discurso de Benjamin Netanyahu que considerou “um passo em frente” para resolver o conflito no Médio Oriente. No entanto, o chefe de Governo israelita continua a recusar reverter o processo de construção de colonatos em algumas zonas. Algo que para os palestinianos continua a ser inaceitável. O negociador palestiniano Saeb Erekat passa a bola para o campo americano e diz que Obama “pode tratar Israel como um país acima das leis dos homens, aplicar dois pesos e duas medidas, e isso terá um elevado preço, ou ele poderá obrigar o Governo Israelita a cumprir os seus compromissos, a solução de dois estados com as fronteiras de 1967 e impedir a instalação de colonatos, incluindo o crescimento natural”, concluiu. O gabinete do presidente palestiniano Mahmoud Abbas diz que Benjamin Netanyahu não foi tão longe como poderia ter ido no seu discurso. Por seu lado, alguns israelitas acusam o primeiro-ministro de estar a fazer demasiadas cedências às pressões de Washington.