Última hora

Última hora

AF447: médico francês sem acesso aos relatórios das autópsias

Em leitura:

AF447: médico francês sem acesso aos relatórios das autópsias

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 400 destroços do Airbus A330 da Air France, que se despenhou no passado dia 1, já foram encontrados, mas ainda não se sabe onde estão as caixas negras, essenciais para compreender a causa da tragédia.

Numa conferência de imprensa, o director da unidade francesa de investigação e análise criticou as autoridades brasileiras, já que o médico francês enviado ao Brasil não pode ter acesso aos relatórios das autópsias. Mesmo assim, Paul-Louis Arslanian está optimista: “Quando recuperarmos as caixas negras, vamos poder analisar uma série de dados preciosos. Se não temos dados vindos dos emissores a bordo, temos por outro lado muita informação, apesar de estarmos ainda a perceber o que temos disponível.” A Air France já substituiu todos os sensores e velocidade da sua frota de Airbus A330 e A340, depois das sondas pitot terem sido apontadas como uma possível causa do acidente. O voo AF447, que fazia a ligação entre o Rio de Janeiro e Paris despenhou-se no Atlântico no dia 1 de Junho, com 228 pessoas a bordo.