Última hora

Última hora

Obama apresenta reforma financeira

Em leitura:

Obama apresenta reforma financeira

Tamanho do texto Aa Aa

A Reforma Reguladora para as Finaças do Século XXI – foi assim que o presidente dos Estados Unidos Barack Obama baptizou o pacote de medidas que anunciou, esta quarta-feira.

O presidente deu a conhecer uma reforma com a qual promete uma melhor supervisão e mais anticorpos contra futuras crises. “Com as reformas que propomos hoje, queremos pôr em prática regras que permitam aos mercados promover a inovação e, ao mesmo tempo, desencorajar os abusos. Queremos um quadro legal no qual os mercados funcionem de forma livre e justa, sem a fragilidade que faz com que ciclos económicos normais tragam riscos de colapso financeiro – um sistema que funcione para as empresas e para os consumidores”, disse o presidente. Obama quer um sistema financeiro quase completamente reconstruído e simplificado. A medida mais emblemática é o fim de dois mecanismos, actualmente dependentes do Departamento do Tesouro: o gabinete de supervisão das poupanças e a Carta Federal que rege os empréstimos e as poupanças. Estas actividades passam a ser controladas por uma federação de organismos reguladores, presidida pelo departamento do Tesouro e gerida em conjunto com a Reserva Federal. Os bancos passam a ter novas obrigações, como ter maiores reservas de capitais. O presidente quer assim uma estrutura económica que seja, ao mesmo tempo, mais simples e mais eficaz. Obama quer também que as eventuais falências de grandes empresas tenham um efeito limitado na economia. Os consumidores passam também a ter uma protecção alargada, com a criação de uma agência que vai controlar os produtos financeiros destinados ao consumo, como os empréstimos ou os cartões de crédito.