Última hora

Última hora

Sobreviventes de terramoto em Abruzzo contestam medidas de Berlusconi

Em leitura:

Sobreviventes de terramoto em Abruzzo contestam medidas de Berlusconi

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de sobreviventes do tremor de terra de L’Aquila manifestaram-se junto ao parlamento italiano para exigir mais garantias ao Governo.

Muitos habitantes da região de Abruzzo, no centro do país, criticam o plano de reconstrução que o executivo de Berlusconi votou esta terça-feira e acusam o primeiro-ministro de não cumprir promessas. “Face a esta gestão escandalosa das ajudas, a população de L’Aquila, que é um povo paciente, não pode senão reclamar transparência, a reconstrução e a participação da sociedade civil nas escolhas que dizem respeito às suas próprias vidas”, declarou Ettore Di Cesare, um membro da associação de vítimas do terramoto. Berlusconi prometera dar aos desalojados abrigos temporários em madeira até Setembro Os manifestantes chegaram a Roma em 20 autocarros oriundos de Pescara, na costa adriática, de Abruzos e de L’Aquila, cidade escolhida para acolher a cimeira do G8 em Julho. “A minha opinião sobre o G8 neste momento, quando sou uma vítima do tremor de terra, bem, eu não quero saber do G8. Só me interessa porque eu vi na minha cidade estradas construídas para fazer a ligação ao encontro, enquanto o centro histórico continua perigoso e ninguém faz nada. As réplicas continuam, os edifícios estão pior”, disse um residente de L ‘Aquila. Mais de 10.000 edifícios foram destruídos pelo sismo de 5,8 graus na escala de Richter que no dia seis de Abril fez quase 300 mortos e cerca de 50.000 desalojados.