Última hora

Última hora

Atentado no país Basco

Em leitura:

Atentado no país Basco

Tamanho do texto Aa Aa

É o primeiro atentado no País Basco após a tomada de posse do novo governo autónomo.

A explosão de um carro armadilhada provocou, esta sexta-feira, a morte a um inspector da Polícia Nacional. O atentado atribuído à ETA ocorreu na província basca de Vizcaya, por volta das nove da manhã – hora local. A bomba terá sido colocada debaixo da viatura e accionada pela vítima no momento em que ligou a ignição. O alerta foi dado pela mulher do agente de 49 anos, que se encontrava a poucos metros do parque de estacionamento onde se deu a explosão. O atentado, ainda, não foi reivindicado mas as autoridades bascas dizem ter a marca da organização separatistas. Desde logo pelo “modus operandi” e pelo facto de atentados semelhantes cometidos no passado nunca terem sido reivindicados. O poder político já condenou o ataque – o primeiro levado a cabo pela ETA depois do socialista Patxi Lopez ter chegado ao poder no país basco e a quem a organização prometeu vingança. O presidente do governo espanhol, José Luís Rodriguez Zapatero, que se encontra em Bruxelas já repudiou o ataque e promete não desarmar: “Sabíamos que podia voltar a acontecer, ainda que a organização terrorista se encontre mais fraca que nunca, graças ao trabalho levado a cabo pelas forças de segurança, pelos juízes, tribunais e pela cooperação a nível internacional. Sabiamos que podia voltar a acontecer, mas não nos resignamos” afirma Desde o fim do cessar-fogo em 2006, os atentados da ETA já provocaram, sete mortos. Três deles com recurso a viaturas armadilhadas.