Última hora

Última hora

Irão: polícia reprime protesto da Oposição

Em leitura:

Irão: polícia reprime protesto da Oposição

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de mil manifestantes juntaram-se, em Teerão, ignorando o aviso dos Guardas da Revolução, que tinham prometido esmagar todos os protestos contra a eleição presidencial.

Armadas com bastões, matracas e cabos de aço, as milícias bassidjis perseguiram os manifestantes, alguns dos quais acabaram detidos. A polícia recorreu a gás lacrimogéneo para acabar com o protesto. O Conselho dos Guardiões admitiu que houve mais votos do que eleitores potenciais em 50 distritos, nas presidenciais iranianas. Mas desvalorizou o impacto no resultado final. A Casa Branca já condenou a maneira injusta como o povo iraniano está a ser tratado. Povo que já encontrou um símbolo para a resistência. “O mundo testemunhou os momentos finais da jovem Neda, que foi assassinada pelos guardas no norte de Teerão. O pai dela disse-lhe nos momentos finais “não tenhas medo, Neda”. Hoje, as pessoas baptizaram a rua como Neda”, diz a líder do Conselho Nacional da Resistência Iraniana, Maryam Rajavi. Os vídeos da morte de Neda têm sido vistos por cidadãos de todo o mundo na internet.