Última hora

Última hora

Soluções para efeitos da crise nos países menos desenvolvidos

Em leitura:

Soluções para efeitos da crise nos países menos desenvolvidos

Tamanho do texto Aa Aa

As respostas urgentes e de longo prazo às consequências da crise financeira nos países em desenvolvimento vão estar em debate na conferência das Nações Unidas que começa esta quarta-feira em Nova Iorque.

O evento foi organizado pelo presidente da Assembleia Geral da ONU, o nicaraguano Miguel Escoto, crítico de cimeiras restritas como as G-8 ou do G20. “O local mais apropriado e habilitado para discutir este tipo de problemas é a ONU, ou seja, o G192. No fim de contas, estamos a debater problemas globais que devem ser discutidos globalmente”, declarou. Na cimeira vão estar representados cerca de 120 países, incluindo alguns chefes de Estado. Mas muitas nações mais desenvolvidas enviaram delegações pouco numerosas, sinal de algum desinteresse, países que não se revêem nalgumas das medidas em debate como a construção de uma nova pirâmide financeira mundial. A conferência decorre até sexta-feira.