Última hora

Última hora

Presidência sueca da União "enfrenta o desafio"

Em leitura:

Presidência sueca da União "enfrenta o desafio"

Tamanho do texto Aa Aa

No Palácio Real de Estocolmo, o Rei Carlos XVI Gustavo e a Rainha Sílvia da Suécia deram as boas-vindas à Comissão Europeia e ao governo nacional, neste primeiro dia de presidência sueca da União Europeia.

Uma presidência que tem como lema “Enfrentemos o desafio”. Depois de um semestre de presidência checa, cujo balanço não convence toda a gente, o governo sueco começa em força e estabelece os seus objectivos. Poucos, mas bons: combater o desemprego e combater as mudanças climáticas. “Os desafios que a presidência da União enfrenta são inúmeros e não são nada simples. A Europa atravessa a mais séria crise financeira dos tempos modernos. Vamos continuar a tentar gerir a crise financeira e vamos tentar combater o desemprego que afecta toda a Europa. A nossa meta é que a Europa saia mais forte da crise financeira. E o maior desafio da nossa geração é a mudança climática. Não temos tempo a perder”, afirmou o primeiro-ministro sueco. Fredrik Reinfeldt, que já arregaçou as mangas, afirmou a sua determinação em alcançar um acordo sobre um acordo internacional sobre o clima na cimeira de Copenhaga, em Dezembro. A Suécia enfrenta ainda um semestre repleto de desafios institucionais: o novo Parlamento, a nova Comissão, e a eventual ratificação do Tratado de Lisboa pela Irlanda. Durante os próximos seis meses, todos os olhos vão estar postos em Estocolmo. A capital sueca estende-se ao longo de 14 ilhas, no lago Mälaren, o que lhe valeu o apelido de Veneza do Norte. Com os seus cerca de milhões de habitantes, a Suécia aderiu à União Europeia em 1995. Mas foi há exactamente 18 anos, a 1 de Junho de 1991, que o país apresentou a sua candidatura oficial.