Última hora

Última hora

Gripe A: Paris e Madrid menos pessimistas que Londres

Em leitura:

Gripe A: Paris e Madrid menos pessimistas que Londres

Tamanho do texto Aa Aa

As previsões pessimistas do Reino Unido acerca da propagação da gripe A contrastam com as reacções cautelosas de outros países europeus.

Com cerca de 300 casos registados, a França diz que a situação no país é “completamente distinta”, apesar de Paris se preparar para disponibilizar a vacina a grande escala no Outono. Em Espanha, a ministra da Saúde afirma que Madrid “não está em condições de avançar cenários do futuro. O nível de contágio representa, em Espanha, 20 a 25 casos por dia, por isso uma previsão como a avançada pelo ministro britânico da Saúde parece”, segundo a homóloga espanhola, “exagerada”. E acrescenta que as autoridades espanholas “evitam fazer previsões sobre algo que não conhecem”. Com 760 casos confirmados, a Espanha está apostada no reforço do sistema de assistência médica. O Reino Unido é o país europeu mais afectado, com mais de 7400 casos e três mortes devido ao vírus H1N1. Londres disse ontem esperar 100 mil novos casos por dia até ao fim de Agosto e decidiu passar de uma estratégia de contenção, para o tratamento da doença. O ministro britânico da Saúde explica que têm “de planear para o pior” é é por isso que avançou “essa projecção, que explica a passagem para a fase de tratamento”. Apesar de dois casos de resistência ao Tamiflu no Japão e na Dinamarca, a Organização Mundial de Saúde continua a recomendar o antiviral como melhor método para combater a gripe A. Em Portugal, a ministra da Saúde disse ontem que há 27 casos positivos de contaminação com o H1N1.