Última hora

Última hora

Economia global discutida pelos senhores do mundo

Em leitura:

Economia global discutida pelos senhores do mundo

Tamanho do texto Aa Aa

Em plena recessão, a maior que o mundo está a viver desde a II Guerra Mundial, as questões económicas dominam uma grande parte do que vai ser discutido, estes dias, na cimeira do G8 em L’Aquila.

Os líderes dos países mais poderosos do mundo vão discutir questões sobre as quais nem sempre estão de acordo. Questões como a estratégia para saír da crise, a criação de uma carta para a regulamentação dos mercados financeiros ou a luta contra o proteccionismo vão estar em cima da mesa. O G8 vai ainda tentar chegar a acrodo sobre o tema da segurança alimentar e deve também decidir a redução para metade, até 2050, da emissão de gases com efeito de estufa. A crise está a atingir em cheio as principais economias desenvolvidas. Tanto os Estados Unidos como a Zona Euro vão ter, este ano, um crescimento negativo do PIB e só no próximo ano vai haver uma recuperação, embora ligeira. Quinta-feira é dia do G8 se encontrar com um grupo de cinco países – o Brasil, a Índia, a China, o México e a África do Sul. Estas economias, em franca expansão, estão a ter uma palavra cada vez mais importante a dizer. O objectivo desta reunião é concluir as conversações sobre o comércio livre, conhecidas como ronda de Doha, até ao próximo ano. Os líderes vão ainda tomar decisões sobre a segurança alimentar, para evitar subidas excessivas no preço da comida e penúrias. O G8 deve chegar a acordo sobre um investimento de 15 mil milhões de dólares na agricultura. No que toca à poluição, há alguma discordância. Os países emergentes querem que os mais ricos estabeleçam metas a curto prazo, antes de serem traçados objectivos para 2050.