Última hora

Última hora

Milícias Han continuam a patrulhar as ruas de Xinjiang

Em leitura:

Milícias Han continuam a patrulhar as ruas de Xinjiang

Tamanho do texto Aa Aa

O governo chinês afirma que a situação na província de Xinjiang está sob controlo após quatro dias de violentos confrontos interétnicos que provocaram mais de centena e meia de mortos.

Milhares de soldados e polícias patrulham os bairros de maioria uigure para evitar os ataques de represália da comunidade Han. Algumas fontes afirmam que milícias da etnia maioritária continuam, no entanto, a circular na cidade armadas com barras de ferro. As autoridades locais afirmam ter detido mais de 1400 pessoas e que vão condenar à morte os responsáveis pelos confrontos. Os independentistas do congresso mundial uigur, rejeitam as acusações de Pequim relativas à responsabilidade do movimento na vaga de protestos. Uma habitante uigur afirma não saber onde se encontra o marido, “muitas pessoas da nossa comunidade desapareceram nos últimos dias”, afirma. Desde domingo que as manifestações da comunidade muçulmana perturbam a província, apresentada por Pequim, como um modelo de coabitação exemplar entre as comunidades han e uigur. Na base dos protestos da minoria muçulmana, que se queixa de discriminação e repressão, estará o ataque de uma milícia han contra uma fábrica de brinquedos em Junho, que provocou a morte de dois trabalhadores uigures.