Última hora

Última hora

Nomeação de Barroso não estará na ordem do dia do PE em Julho

Em leitura:

Nomeação de Barroso não estará na ordem do dia do PE em Julho

Tamanho do texto Aa Aa

Os chefes de grupo decidiram, está decidido: a nomeação de Durão Barroso não estará na ordem de trabalhos da sessão plenária do Parlamento Europeu, da próxima semana.

Os chefes de Estado e de governo apresentaram, aos líderes das bancadas parlamentares, a candidatura oficial de Barroso. Mas os grupos querem um plano de acção. “O presidente da Comissão vai, certamente, começar as discussões com os grupos políticos. E, na base dessas discussões, uma decisão será tomada, em Setembro, espero”, explica o presidente cessante do Parlamento Europeu, o conservador alemão Hans-Gert Poettering, apoiante de Barroso. Alguns grupos, como os Verdes, preferiam mesmo que o voto, no Parlamento, só fosse agendado em Outubro, após o referendo irlandês ao Tratado de Lisboa, que provoca mudanças no funcionamento do executivo comunitário. Os verdes são quem mais se tem oposto a Barroso. “Penso que não devemos votar no presidente da Comissão sem termos discutido o programa com ele. O meu grupo”, garante Rebecca Harms, co-presidente da bancada dos verdes, “vai insistir em discutir o programa para os próximos cinco anos e reserva-se o direito de só votar – ou não – depois.” Com um primeiro mandato bastante criticado e com a pressão exercida, nos últimos tempos, para que a sua recondução à frente da Comissâo Europeia fosse votada já este mês, Durão Barroso não convence os socialistas – apesar do acordo com os populares – como se depreende das palavras do líder da bancada da rosa, Martin Schulz: “Depois de tudo o que vi – sobretudo o comportamento de Durão Barroso nestas três últimas semanas: em pânico, na busca desta nomeação, aceitando mesmo os votos dos eurocépticos e dos anti-europeístas -, não tenho muita esperança para o Outono.”