Última hora

Última hora

Ligação marítima num domingo divide habitantes das ilhas Hébridas

Em leitura:

Ligação marítima num domingo divide habitantes das ilhas Hébridas

Tamanho do texto Aa Aa

A primeira ligação marítima num domingo entre o arquipélago das Hébridas e a Escócia fez-se pouco depois da hora do almoço, com partida de Stornoway.

Uma notícia banal não fosse uma parte da população tradicionalmente religiosa querer o domingo como um dia de total descanso, incluindo os ferries. O reverendo Timothy McGlyaa não esconde o seu desapontamento e tristeza profunda. Afirma que a herança de vários anos, “uma herança abençoada, foi-lhes retirada”. Mas os operadores dos transportes marítimos entre a Escócia e o arquipélago entendem que pode até ser ilegal parar os motores num domingo, em nome de uma minoria conservadora. O arquipélago das Hébridas tem dezenas de ilhas, mas apenas umas vinte são habitadas e não têm mais de 27 mil pessoas. A maioria da população é presbitariana. Uma residente não poupa elogios ao que diz ser uma diferença enorme na sua vida. “Os meus filhos vieram visitar-me, o que nunca tinham podido fazer antes” Mas para um outro residente, a novidade chegou tarde porque está reformado. “Quando trabalhava na Escócia tinha de pedir um dia extra de folga para poder visitar a família na ilha. “ Há quem ache muito bem estas ligações, e as lojas até começaram a abrir aos domingos e depositam-se esperanças no aumento da actividades turística.