Última hora

Última hora

Gripe A: corrida contra o tempo

Em leitura:

Gripe A: corrida contra o tempo

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de dois terços dos países da União Europeia encomendaram vacinas contra a gripe A. Os restantes vão poder contar com a ajuda de Bruxelas.

A garantia foi dada em Lisboa pela comissária europeia da Saúde. Em Portugal, o número de pessoas infectadas ultrapassa a centena e meia. Só esta segunda-feira, foram confirmados 14 novos casos numa altura em que a chegada de vacinas está prevista, apenas, para 2010. O Reino Unido prepara-se para começar a vacinar a população já a partir do próximo mês. O secretário da Saúde britânico diz que o nível de alerta se mantém, acrescentando, que “esta semana vão ser postos em marcha novos serviços de aconselhamento via internet e telefone.” A comissária europeia da Saúde de acredita que a vacinação dos grupos de riscos vai ser necessária numa primeira fase. É o caso, por exemplo, de crianças, das grávidas e dos profissionais de saúde. Ainda, assim, a informação é essencial para evitar alarmismos como refere Carrie Longton, co-fundadora do Mumsnet.com: “Quando as pessoas recebem apenas parte da informação, com conselhos muito gerais ou irrealistas começam a pensar que há algo de errado e isso é meio caminho andado para semear o pânico.” Duas companhias aéreas britânicas anunciaram, entretanto, que pretendem impedir os passageiros infectados com o vírus H1N1 de viajarem. Tosse e sinais de febre vão servir de base à triagem. De acordo com a Organização Mundial de Saúde a gripe A provocou, até ao momento, em todo o mundo mais de 400 mortos.